Venha conhecer o Santuário das Aparições de Jacareí

Estrada Arlindo Alves Vieira, 300 - Jardim Colinas, Jacareí - SP, 12319-015

Telefone: 55 12 99701-2427

email: santuariodejacarei@gmail.com

Assine nosso site e fique informado das novidades!
Search by Tags

© 2017 by MensageiradaPaz.org

O site MensageiraDaPaz.org é mantido por peregrinos divulgadores.

Via-Sacra do Verdadeiro Amor, sob o olhar de Nossa Senhora das Lágrimas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1ª. Estação: Diante de Pilatos

Meu adorável Jesus, prostrada nesta primeira estação do caminho do Calvário, Vos suplico, ensinai-me a verdadeira ciência.

“Minha filha, aqui Me vês recebendo a sentença de Pilatos, que Me condenou à morte de cruz! Assim como Eu, tu também deves ser condenada. Mas a pena que Eu te dou é a de Me amares loucamente, assim como Eu te amo. Se não fosse por amor não Me sujeitaria à condenação de Meu povo. E porque Meu Amor é infinito, permiti que Me levassem aos tribunais para neles ser julgado como um simples homem. Ó alma que Me contemplas, grava no teu coração a Minha sentença de amor, é isto que te peço, porque amando-Me, poderás chegar à santidade.”

Meu Senhor e Meu Deus, como agradecer-Vos tanta bondade! Ó minha Mãe das Lágrimas, grava no meu coração e na minha alma a sentença de amor de Jesus para que de hoje em diante ame a Deus de todo o meu coração, só a Ele servindo e tudo lhe dando pelas Vossas santíssimas mãos. Isto Vos suplico pelo valor de Vossas Lágrimas.

2ª. Estação: No caminho do Calvário

Adoro-Vos, meu Jesus, que, por Amor, derramastes Vosso precioso Sangue por mim! Meu adorável Jesus, nesta segunda estação Vos vejo abrindo os Vossos santíssimos braços para receberdes uma tremenda humilhação, a Cruz. Que me dizeis, ó meu Jesus, neste momento tão humilhante para Vós e tão precioso para mim?

“Alma que Me contemplas, é o amor que te peço no dia de hoje, porque ele te dará forças para abraçar as pequenas cruzes, que surgem no desempenho de teus deveres! Se Me amares, à Minha imitação, abrirás os braços para a cruz de cada dia.”

Meu Jesus, dai-me a graça de bem compreender Vossas lições de amor, para que saiba abraçar as cruzes que Vossa paternal bondade me enviar. E Vós, Virgem Santíssima, minha Mãe das Lágrimas, ensinai-me a amar a cruz de cada dia, para que assim possa no futuro estar ao vosso lado, louvando a Deus que é todo Amor.

3ª. Estação: 1ª. Queda de Nosso Senhor

Adoro-Vos, meu Jesus, que, por Amor, derramastes Vosso precioso Sangue por mim. Meu adorável Jesus, nesta terceira estação Vos vejo caído por terra!

“Alma que Me ouves, assim deixei cair Minha humanidade por terra, porque queria dar-te uma sublime lição! Escuta e grava no teu coração e na tua alma. O espírito está pronto, mas a carne é fraca! Exausto pela perda de sangue na dura flagelação, já não tinha forças para carregar a pesada cruz, porém o Amor dentro de Minha alma deu-Me novas energias e levantei-Me, carregando-a de novo. Eis a lição que te desejo dar: quando estiveres exausta pelas fadigas da vida, procura no teu coração o amor que Me consagras, será ele a força para retomares a cruz e seguir-Me na via dolorosa.”

Meu adorável Jesus, que estas lições de vosso santo Amor fiquem gravadas na minha alma e no meu coração, para assim Vos imitar nesta vida, e um dia Vos louvar eternamente. Virgem Santíssima, auxilia-me nestas lições de Jesus. Isto Vos suplico pelas penas de Vossa alma, as quais Vos fizeram derramar abundantes Lágrimas.

 

4ª. Estação: Jesus encontra-Se com Sua Mãe

Adoro-Vos, meu Jesus, que, por Amor, derramastes Vosso precioso Sangue por mim.Meu adorável Jesus, vejo-Vos no caminho doloroso do Calvário, carregando uma pesadíssima cruz. Além disso, Vos contemplo com o Coração despedaçado ao encontrardes Vossa terna Mãe com a alma angustiada, ao ver-Vos assim tratado! Meu adorável Jesus, que devo aprender neste quadro comovente?

“Alma que Me ouves, é do Amor que estamos falando! Nesta cena desejo dar-te a lição que Eu pratiquei primeiro. Ao encontrar-Me com Minha santa Mãe, podia como Deus largar a Minha cruz, ir ao Seu encontro e lançar-Me nos Seus braços maternos. Mas assim não fiz. Deixei-A na Sua grande dor e continuei a Minha trajetória! Será que Meu Coração foi insensível às penas de tão boa Mãe? Ah, não. Assim procedi porque a lei do Amor é o Sacrifício.   
Amando-te infinitamente não Me poupei, nem à Minha Mãe, cujas dores irão mais tarde beneficiar Seus pobres filhos. Aprende esta lição que hoje te dou: quando se ama, tudo se sacrifica pelo objeto amado. Quando Eu te pedir um sacrifício, se ele te custar, lembra-te deste Meu generoso Amor, que não Me deixou poupar-Me, nem poupar a criatura que mais amo, Minha Mãe!”

Meu adorável Jesus, gravai no meu coração e na minha alma tão santas lições, para que tudo sacrifique por Vosso santo Amor. E Vós, ó Virgem Santíssima, minha Mãe das Lágrimas, Vos suplico, pela dor que experimentastes neste doloroso encontro, que me deis a energia necessária para cumprir os desígnios de amor de meu adorável Jesus Crucificado.

5ª. Estação: Cirineu ajuda Jesus a levar a Cruz

Adoro-Vos, meu Jesus, que, por Amor, derramastes Vosso precioso Sangue por mim. Meu adorável Jesus, vejo-Vos precisando do auxílio de uma simples criatura, Vós que sois o Deus dos exércitos! Que me ensinas aqui?

“Alma que Me ouves, teu Jesus sujeitou-Se ao auxílio de uma pobre criatura, para dar-te mais uma lição de Amor! Sim, foi o Amor que Me levou a este ato de humildade, de precisar do auxílio de um pobre homem a carregar a cruz. Não foi por amor, mas à força, pois os soldados o obrigaram a Me ajudar!  O que desejo que aprendas é que, quando abatida sob o peso de uma dura provação, aceites o auxílio das criaturas, lembrando-te que teu Deus não Se envergonhou de aceitar a ajuda de uma simples criatura, até mesmo quando não é feito por amor.”

Meu adorável Jesus, gravai no meu coração e na minha alma tão santos ensinamentos, para que possa Vos imitar, aceitando o auxílio das criaturas, para cada vez mais me elevar até Vós. Virgem Santíssima, minha Mãe, suplicando-Vos pelas Vossas benditas Lágrimas, dai-me a graça de bem compreender as lições de Jesus.

6ª. Estação: Verônica enxuga o Rosto de Jesus

Adoro-Vos, meu Jesus, que, por Amor, derramastes Vosso precioso Sangue por mim.
Meu adorável Jesus, nesta trajetória do Vosso Amor, Vos contemplo com a Face amortecida e toda coberta de sangue, o qual não Vos deixa ver o caminho! Uma santa mulher, ao contemplar-Vos assim maltratado, vai ao Vosso encontro para limpar-Vos a Face! Meu Jesus, que lição aqui me dais?

“O amor que me levou a deixar que os carrascos desfigurassem a Minha Face, também Me levou a permitir que uma mulher a limpasse. Esta lição de Amor te diz que por amor limpes a Minha Face tão ultrajada pelos pecadores e ingratos, também nos dias de hoje. Com o vosso generoso amor, limpai Minha Face na alma dos pobres pecadores e em troca dar-vos-ei no Paraíso a felicidade de contemplar Minha Sagrada Face.”

Meu adorável Jesus, fazei que eu compreenda este aprendizado amoroso para que neste mundo seja na realidade Vossa Verônica, por Amor, para um dia poder contemplar Vossa Face. Virgem Santíssima, minha Mãe, pedindo-Vos pelo valor de Vossas benditas Lágrimas, fazei-me semelhante a Vós para alegria de nosso Jesus.

7ª. Estação: 2ª. Queda de Nosso Senhor Jesus

Adoro-Vos, meu Jesus, que, por Amor, derramastes Vosso precioso Sangue por mim.  Meu adorável Jesus, pela segunda vez Vos contemplo vergado sob o peso imenso da cruz que levas, para nela ser crucificado! Ó meu Deus, como são pesados os meus pecados e os de toda a humanidade, pois eles Vos fazem cair por terra! Ensinai-me, adorável Jesus, o que devo evitar e como devo ser generosa para Vos ajudar levando almas ou Vosso Divino Coração. Senhor, dizei-me o que minha alma está necessitando aprender para cada dia mais Vos amar.

“Alma que Me contemplas carregando o peso de todas as iniquidades da humanidade, o Meu Coração te diz: Ama-Me e terás força de carregar a tua cruz de cada dia. E quando caída sob o peso dela, lembra-te que Eu por teu amor Me levantei, retomando a cruz para sofrer até o fim! Aprende a não desanimar no caminho do Calvário, que é o caminho da tua perfeição. E se um dia sentires mais forte o peso da Cruz lembra-te de teu Jesus, que três vezes caiu e três vezes Se levantou impulsionado pelo Amor que por ti sentia o Meu Coração!”     


Meu adorável Jesus! Fazei que grave na minha alma as lições admiráveis que me dais e que elas produzam em mim frutos de vida eterna. E Vós, ó Virgem Santíssima, dai-me o Vosso auxílio para que dê cumprimento às palavras de Jesus, que são palavras de Amor. Isto Vos suplico pelo valor de Vossas benditas Lágrimas.

8ª. Estação: Jesus consola as mulheres de Jerusalém

Adoro-Vos, meu Jesus, que, por Amor, derramastes Vosso precioso Sangue por mim.
Meu adorável Jesus, nesta estação Vos contemplo consolando com a Vossa caridade umas mulheres que choravam, vendo-Vos tão maltratado. Ó meu Jesus, qual é a lição, que dais a minha alma, à vista deste quadro de Vossa Vida?

“Alma que Me ouves. É o Meu Amor que te ensina a seres compassiva com todos, especialmente com os que sofrem! É o amor que torna o coração sensível à vista dos sofrimentos do próximo. Além disso, deves aprender a te compadeceres dos pobres pecadores, pois foram eles a causa de Meus padecimentos e são eles a Minha finalidade. Foi para resgatar os cativos do pecado que desci ao mundo para padecer e morrer em uma cruz. Aprende a ser compassiva com os que sofrem e a amar as pobres almas que vivem no pecado, porque elas Me custaram todo o Meu Sangue!”

Meu adorável Jesus, gravai na minha alma tão santas lições, isto Vos suplico pela Vossa infinita caridade. E Vós, ó Virgem Santíssima, minha Mãe das Lágrimas, dai-me o Vosso Coração compassivo para me tornar uma alma agradável a Jesus, fazendo em tudo Sua Santíssima Vontade. Isto Vos suplico pelo Vosso amável Coração.

 

9ª. Estação: 3ª. Queda

Adoro-Vos, meu Jesus, que, por Amor, derramastes Vosso precioso Sangue por mim. Meu adorável Jesus! Pela terceira vez Vos vejo caído por terra.Aqui Vos contemplo beijando a terra sem queixa alguma! Dizei-me, Senhor, o que devo aprender?

“Alma que Me ouves, é o meu Amor que te explica o motivo de Me veres caído. É o infinito Amor pela tua alma que Me levou a tantos sofrimentos, a ponto de derrubar por terra Minha humanidade! Só o fogo do Amor é capaz de aceitar tanta humilhação para mostrar ao objeto amado até onde chegam suas labaredas, que só são saciadas no sacrifício.”

Meu adorável Jesus! Que aprendizado o Vosso ardente amor aqui me proporciona! Fazei que eu o grave na minha alma e que de hoje em diante as labaredas de Vosso Santo Amor me lemvem a abraçar com alegria as humilhações que surgirem na minha vida. E Vós, minha Mãe das Lágrimas, dai-me o Vosso auxílio para que de hoje em diante não tema tanto o sacrifício, mas que, à imitação de Jesus, saiba abraçar com amor tudo que Sua Santíssima Vontade me enviar, o que suplico pela Vossa ternura de Mãe.


10ª. Estação: Arrancam as vestes de Jesus

Adoro-Vos, meu Jesus, que, por Amor, derramastes Vosso precioso Sangue por mim.
Meu adorável Jesus, nesta estação de vosso caminho de Amor, Vos contemplo como um manso Cordeiro, aceitando que os soldados Vos desnudem! Ó meu Deus, não sois Vós a pureza infinita?! E como permitis que mãos sacrílegas profanem assim o Vosso Corpo Santíssimo? Que devo aqui aprender?

“Alma que Me ouves, o meu ardente Amor permitiu tudo isto para te ensinar a despojar-te de ti mesma por Meu Amor. O amor é um fogo que purifica, por isso há de queimar todas as tuas vontades, deixando-te pura para pertenceres à Minha causa. Por amor de ti Me deixei despojar de Minhas roupas; por amor de Mim, deixa o Meu ardente Amor te despojar de todas as tuas vontades.”

Meu adorável Jesus, gravai no meu coração, com o fogo de Vosso Santo Amor, Vossas sagradas lições, para que assim possa fazer sempre a Vossa Vontade. E Vós, Virgem Santíssima, minha Mãe das Lágrimas, gravai na minha alma o que Jesus me ensina com Seu despojamento no caminho do Calvário. Isto Vo-lo suplico pelo quanto sofrestes nesta via dolorosa.


11ª. Estação: Jesus pregado na Cruz

Adoro-Vos, meu Jesus, que, por Amor, derramastes Vosso precioso Sangue por mim.
Meu adorável Jesus, nesta estação de Vossa trajetória ao Calvário Vos contemplo nas mãos dos carrascos, os quais Vos vão pregar na cruz! Ó meu Jesus, Vós, o Deus dos exércitos, assim Vos deixais tratar?! Que ensinais aqui à minha alma?

“Alma que Me ouves, o pecado assim Me tratou, porque cometi o crime de te amar com amor infinito! Quando os homens ou o maligno um dia te desprezarem por Meu Amor, alegra-te porque nesta hora estás imitando-Me. Bem-aventurados os que, por Meu Amor, forem assim tratados, porque estão no caminho do Paraíso.”

Meu adorável Jesus, gravai na minha alma o amor à cruz e o desejo de ser nela crucificada por Vosso Santo Amor. E Vós, Virgem Santíssima, minha Mãe das Lágrimas, dai-me a graça de realizar este meu desejo. Isto Vo-lo suplico pela dor que experimentastes ao verdes vosso Divino Filho pregado na Cruz.

12ª. Estação: Jesus morre na Cruz

Adoro-Vos, meu Jesus, que, por Amor, derramastes Vosso precioso Sangue por mim.
Meu adorável Jesus, nesta estação Vos contemplo em uma dolorosíssima agonia! Meu bom Jesus, Vós que suavizastes com a Vossa presença a morte de São José, não suavizastes a Vossa!

“Alma que Me ouves, para Mim os espinhos e para vós o perfume de Minha infinita caridade! Para Comigo usei de todos os rigores possíveis e imagináveis, para convosco sou todo caridade! Vê, alma, o que te ensino neste caminho de sangue! Sou todo Amor! Para te demonstrar este Amor, permiti que Me dessem a morte a mais humilhante!”

Meu adorável Jesus, dai-me o Vosso preciosíssimo Sangue, para que, purificada de toda a mancha, possa Eu bem aprender estas lições tão preciosas. E Vós, minha bendita Mãe das Lágrimas, dai-me o Vosso entendimento para que compreenda o amor que Jesus tem por minha alma, e assim possa tentar amá-Lo na mesma medida com que Ele Me amou. Isto Vo-lo suplico pelo quanto sofrestes aos pés da Cruz.

 

13ª. Estação: Jesus morto nos braços de Sua Mãe

Adoro-Vos, meu Jesus, que, por Amor, derramastes Vosso precioso Sangue por mim.
Meu adorável Jesus, nesta estação Vos contemplo nos braços de Vossa desolada Mãe, que, ao ver-Vos tão esmagado, sente Sua alma transpassada de tanta dor, o que A faz derramar muitas lágrimas sobre Vosso Santíssimo Rosto! Ó meu Jesus, que me dizeis neste quadro de tanta dor?

“Alma que Me ouves, vê como se ama! É o amor que Me levou a causar tanta dor à Minha Mãe! Se não tivesse te amado tanto, teria poupado o coração de tão terna Mãe! Mas o Meu ardente Amor assim Me fez agir, pois é assim que se ama!”

Meu adorável Jesus, quanta dor e quanto amor! Quão fraco é ainda meu amor ao contemplar o Vosso, o qual Vos levou a ferirdes a alma desta Mãe, que tanto Vos ama! Gravai, meu Jesus, estes ensinamentos sublimes no meu coração, para que tudo sacrifique por Vosso Santo Amor. E Vós, ó Virgem Santíssima, minha Mãe Lacrimosa, pelo Vosso silêncio nesta grande dor, dai-me a Vossa fortaleza para que jamais negue meu amor a quem deu todo seu Sangue por mim.

 

14ª. Estação: Jesus é sepultado

Adoro-Vos, meu Jesus, que, por Amor, derramastes Vosso precioso Sangue por mim.Meu adorável Jesus, aqui Vos contemplo nos braços de Vossos piedosos amigos, que Vos levam à sepultura! Ó meu Deus, é o Amor por minha alma que Vos leva a ficar sepultado na terra! Vosso adorável Corpo, formado pelo Amor, por três dias escondido nesta tão grande humilhação só merecida pelos nossos pecados! Os esplendores de Vossa Divindade estão escondidos sob este véu da Santa Humildade! Eis aqui a explicação do quanto me amais! Ó meu Jesus, que eu saiba, à Vossa imitação, esconder-me sempre no esquecimento, tudo dando a Vós e ficando para mim somente o conhecimento de meu nada! E Vós, ó Virgem Santíssima, minha Mãe das Lágrimas, pelas dores de Vossa soledade alcançai-me a graça de viver sempre envolta na santa humildade, virtude predileta do Coração Santíssimo de Jesus.